Dez itens essenciais de sobrevivência. “10 Essentials”

A idéia não é nova, na verdade está completando 40 anos exatos. Os “10 Essentials”. Não é de fato a primeira lista de equipamentos de sobrevivência publicada, Nessmuk, Chefe BP e outros autores já fizeram suas listas muito tempo antes, o que torna esta lista notável é o fato de ter sido adotada como padrão por várias instituições, associações escoteiras, assoc. de montanhistas, de Trekking, militares, grupos de outdoor e muitos outros, o que lhe rendeu a alcunha de “Kit Clássico ou padrão” que durou por muito tempo.

Acho que posso afirmar que existem milhares de produtores e replicadores de conteúdo no planeta, sem contar os palpites e experiências em fóruns e listas de discussão especializados, mesmo ali, na década de 70 onde as pessoas se comunicavam por cartas ainda e tudo levava um tempo enorme, chegar a um consenso sobre um kit era uma idéia audaciosa, as grandes escolas de sobrevivência da época eram concorrentes ferrenhas, havia rivalidade entre revistas e publicações especializadas e associações locais espalhadas e cuidando de seus interesses próprios, discutir um kit genérico e chegar a um acordo sobre ele, foi uma façanha.

Note que, não é algo específico para praticantes disso e daquilo, é óbvio que um adepto de artes mateiras ou sobrevivencialista vai se incomodar com alguns aspectos “que faltam”, mas lembre-se que a data era 1970, e havia muita coisa em 1970 que evoluiu, vejam os itens:

  • Mapa
  • Bússola 
  • Óculos de sol e protetor solar
  • Alimentos extra
  • Água extra
  • Roupas extra, agasalhos
  • Farol e / ou lanterna
  • Estojo de primeiros socorros
  • Iniciador de fogo
  • Faca 

 Desde a primeira versão, a titulo de curiosidade apenas, alguns itens estavam ali para serem usados, veja bem, não ficavam reservados como “extra”, o praticante de atividades outdoor não carregava 2 bisnagas de protetor solar, sendo uma reservada no kit de sobrevivência.

Não havia o conceito de “junto ao corpo”, nos bolsos porque é importante ou o clásico: “E SE você perder sua mochila?” de alguém.

Outra coisa importante é, não são 10 itens literalmente, sub conjuntos são contados como um só, como veremos á frente, e são absurdamente genéricos, o estojo de primeiros socorros e o kit fogo são exemplos disso, são conjuntos de itens mas que contam como um.

 Tempos modernos

Um monte de coisas mudou em 40 anos, a tecnologia, os conhecimentos, os praticantes e o acesso a informação. Não vou perder o meu tempo nem o de vocês com isso, basta saber que tudo evoluiu em conceitos e o clássico foi forçado a se adaptar junto, em 2003, a mesma revista fez uma releitura de seu afamado kit, vamos a ele:

  • Navegação:  mapa topográfico e mapas variados em recipiente à prova d’água, mais uma bússola magnética, altímetro ou receptor de GPS.
  • Proteção Solar: óculos de sol, protetor solar para os lábios e pele, chapéu, roupas para proteção do sol.
  • Isolamento: chapéu, luvas, jaqueta, agasalhos para mudanças súbitas de tempo.
  • Iluminação: farol, lanterna, pilhas. Lâmpadas LED é o preferido para estender a vida da bateria.
  • Suprimentos de primeiros socorros, além de repelente de insetos.
  • Fogo: Isqueiro, Pederneiras ou fósforos em recipiente à prova d’água.
  • Kit de Reparação e Ferramentas: facas, multi-ferramentas , tesouras, alicates, chave de fenda, espátula / pás, fita adesiva, abraçadeiras.
  • Nutrição: Adicionar comida extra para um dia adicional (para emergências). O alimento seco é o preferido para economizar peso e, geralmente, precisa de água.
  • A hidratação:  Adicionar de 2 litros de água por um dia adicional (para emergências).
  • Abrigo de Emergência: Lona, saco de bivaque , cobertor aluminizado , barraca, sacos de lixo jumbo, saco de dormir e isolante térmico.

A publicação ainda recomenda mais itens, perfazendo 14:

 

  • Kit para pruficação de água portátil e garrafas de água
  • Ferramenta média para o ambiente específico. ( machado de neve, facão, pá, machadinha)
  • Repelente de insetos (ou roupas desenhadas para esta finalidade)
  • Dispositivos de sinalização, como um apito , telefone celular , rádio , telefone via satélite , espelhos sinalizadores.

Acho que todos repararam que este kit cheio de kits enche fácil uma mochila não é?

Sinal dos tempos

Logo ali, em 1980, o culto as facas, que sempre existiu diga-se de passagem, tomou sua forma comercial e com isso tornou-se uma religião mundial. O marketing cuidou disso com carinho, mostrando a faca como um item poderoso, fálico, capaz de suprir quaisquer outras preparações prévias. Centenas de milhares elas foram vendidas, afinal, se você tem uma faca não precisa de um kit de socorros porque pode se costurar como o Rambo fez, pode pegar anti bióticos na floresta, construir cabanas, fazer fogo… pra que carregar tanto peso?
O que as marcas não mostram na propaganda é que quem faz as peripécias são os usuários e não as facas, e que tal desempenho necessita de muito, muito treino assistido e ainda assim o melhor resultado possível ainda é inferior ao objeto feito para atender aquela necessidade.

Calma, falar da faca foi só uma ilustração, a mais clássica, há quem defenda machados, lonas, panelas, dentes e unhas nos pelados e largados da vida como itens únicos já que até a faca pode ser “feita” por um especialista em artesanato natural. Encontraremos religiosos do fogo, da água e os que acreditam que o celular pode e vai superar a natureza.

Ainda ali nos 80´s Tom Brow, “o tracker” publicou sua lista, voltada par rastreadores e caçadores, nos 90´s Ray Mears detonou tudo com seus 10 essentials para bushcraft, logo ali em 2000 já com acessos a informação ágeis e mais acessíveis, vieram as listas de Canterbury, Lundin, Toniollo, Grills, Stroud, de escolas famosas ou não, de grupos famosos ou não e já em 2010 existem quase 1 milhão de resultados de pesquisa para “survival basic kit”.

Hoje o que há de mais comum é uma empresa publicar uma lista de itens básicos, que ela vende, que você não vai conseguir sobreviver sem eles, mesmo estando aí bem vivo até agora. A lista da publicação, sim eu concordo, passou do ponto de genérica para super abrangente e á prova de falhas como deve ser, pra mim faltaram a arma para proteção, as panelas e o fator crucial, que não foi citado: Desenvolvimento pessoal.

Sem treino meu chapa, pode ter a melhor tralha do mundo.

Eu gostaria muito de ver as opiniões de vocês sobre isso, principalmente de quem tiver a boa vontade de descrever o que seria um bom kit básico para praticantes de sobrevivencialismo aqui nos comentários, no mais, como sempre agradeço aos amigos que compartilharem e avaliarem a postagem.

“10 essentials abraços pra vocês!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *